Tag Archives: Pedofilia

Conhece o mundo virtual no qual seu filho navega?

22 ago

size_590_Pedófilos_podem_se_esconder_em_smartphones_dos_filhos_diz_anúncios

Dia desses, numa de minhas aulas, um garoto pré-adolescente me chamou para uma conversa. Questionou-me se eu conhecia a “Deep Web”. Como, até então, eu nunca ouvi nem li nada a respeito, ele começou a contar como passava grande parte das suas tardes na internet. Tal fato me causou apreensão, pois as histórias que ele me contava eram assustadoras. O assunto não saía da minha cabeça e, ao chegar em casa, fui pesquisar a respeito.

            Conhecemos a internet convencional, que, segundo as fontes consultadas, representa apenas 25% do total, o restante faz parte da tal “Deep Web” ou “Hidden Web”, ou seja, a segunda representa uma enormidade do que existe no mundo virtual. Mas nem tudo são flores. Aliás, quase nada são flores.

            Ao me aprofundar mais no tema, percebi o quão prejudicial esse mundo obscuro pode ser. Nele, há pouca coisa a ser aproveitada. Na realidade, lá pode ser encontrado tudo aquilo que de mais podre sai da mente humana: pedofilia, canibalismo, assassinatos, venda de drogas e armas, terrorismo, zoofilia, necrofilia etc. Mas não é possível acessar essas porcarias por meio de um navegador comum. Há a necessidade de softwares especiais.

            Lá há uma imensidão de sites que ensinam a hackear, isto é, a ser um transgressor virtual. Ainda há de se tomar cuidado para que os próprios hackers não invadam o seu computador particular e furtem todas as senhas possíveis.

            Nossas crianças e jovens sabem muito mais do que nós a respeito de tecnologia. Ministram aulas a respeito. Celulares de última geração, que só atrapalham a educação, pois os pais permitem que os filhos os levem para a escola; ipads, iphones, computadores, laptops e tantas outras ferramentas que seria impossível competir caso não houvesse a exigência da disciplina nas escolas. Os pais contribuem, em grande parte, para possíveis fracassos dos filhos.

            Eu, na mais absoluta certeza, afirmo que nenhum responsável gostaria de saber que seu(sua) filho(a) navega num mundo virtual no qual há vídeos de pessoas sendo decapitadas, de estupros, pedofilia, execuções, drogas etc. Também, na mais absoluta certeza, creio que pouquíssimos (uma quantidade irrisória mesmo) pais fiscalizam o que os filhos fazem. Aí é que está. Não há psicológico que aguente tanta maldade, ainda mais quando o caráter e a personalidade estão em processo de formação.

            Mesmo nas “reuniões de pais e mestres”, com pedidos dos professores aos responsáveis para que os filhos não levem celulares para a escola, ainda assim o problema persiste, o que dirá pedir para eles fiscalizarem os filhos em casa.

            Será que você, responsável, conhece o mundo virtual no qual seu(sua) filho(a navega? Que mensagens ele(a) troca? Com quem ele(a) conversa? Quais as perspectivas de mundo que ele(a) está criando para si? QUEM É O SEU (SUA) FILHO(A)? Meu intuito, com esse artigo, é alertá-lo(a), responsável. Não podemos perder nossas crianças e jovens para o mundo vil. Juntos podemos educá-los para a vida.

Anúncios

Meu carnaval dos sonhos

21 fev

            Será que sou um sonhador? Às vezes, creio que meus esforços não são em vão, mas quando chega uma época como o carnaval e vejo tanta bandalheira, me vem à cabeça o atraso que o Brasil ocupa em relação aos países desenvolvidos.

            Há de se entender que não sou contra o carnaval. Aliás, é uma festa popular muito importante e precisa ser respeitada. Analisada culturalmente, é o espelho de um povo festivo e alegre.

            O que não deve acontecer são os exageros que vemos todos os anos. Parece-me que, em tempos de folia, as leis não existem. Tudo pode acontecer. As pessoas esquecem-se da moralidade e se mancham por porcaria. Esse ano, na cidade de Cruzeiro, vi fotografias de pais expondo suas filhinhas de no máximo 13 anos de idade, numa passarela montada em praça pública. As menininhas vestiam biquínis e transitavam na frente de marmanjos para lá e para cá. Junto a isso, houve concurso da corte do Carnaval, Rei Momo, Rainha e Princesas Gays etc. Os primeiros lugares ganhariam prêmios, ou seja, a moral vale menos que um cacho de bananas.

            Um absurdo que deveria ser levado ao Conselho Tutelar. Se o cidadão pode ser preso por pedofilia vendo fotografias de menores de idade em poses sensuais pela internet, mesmo que de biquíni, por que no carnaval pode isso ao vivo? Para mim, os atos são equivalentes. E o segundo foi proporcionado por quem deveria zelar pelas crianças: o Poder Público.

            Carros com o volume do som altíssimo, atos de vandalismo, brigas, uso de drogas, exposição de menores, gangues… o Poder Público coloca a venda nos olhos e deixa tudo passar de forma incólume.

            Tudo isso é o reflexo de um Brasil sem limites, que nunca vai chegar aos patamares educacional, moral, ético, político, responsável dos países que alcançaram o topo. Tudo por que os governantes têm a mentalidade mais ínfima do que um grão de areia. Eles precisam de votos; assim oferecem festas ao povo para que este se esqueça das mazelas. O povão é um poço de ignorância. Não cito como povão aquele que não tem dinheiro. É a grande massa, que vai como uma boiada aonde o pastor a toca.

            O carnaval deve ser sim valorizado. É a nossa festa mais importante. Mas programas de conscientização deveriam ser proporcionados pelos órgãos competentes. Não só o “Use camisinha”. Deveria se criar o “Novo Carnaval”. Familiar, respeitoso às leis, com a polícia agindo firme. Aos poucos o país ia mudando e seguindo novos caminhos. O Estado deveria mostrar seu poderio o tempo todo.

            Em meio às latescências das festividades, vislumbro, talvez, ao longe, um horizonte cidadão, no qual as pessoas se respeitam e os políticos têm a real vontade de ajudar o próximo, não a si mesmos. Gostaria de ter a certeza de que, nos gabinetes da vida, os gestores não se atenham apenas a serem promoteres  de festa ou bacanais. Que sejam governantes de verdade. Líderes. Não assunto para piadas. Um líder deve ser temido e respeitado. Não execrado e humilhado. Que o carnaval dos meus sonhos não passe de ilusão.