Medo

5 abr

Medo

Medo. Não há uma só pessoa que não tenha se deparado com esse sentimento tão contraditório. Crescemos com ele. A sociedade o impõe também como forma de regrar e exigir que os ditames sejam cumpridos. Alguns o têm como bloqueador da vida. Sentem-se impedidos de fazer muitas coisas por medo de tentar. Outros, assim como eu, têm o sentimento como mola propulsora para alcançar os objetivos.

            Cada um o encara de uma forma e em inúmeros casos podemos notá-lo de maneiras diferentes. Na criação de um dos maiores heróis das Histórias em Quadrinhos, Batman, seu alterego Bruce Wayne, ainda criança, cai num buraco profundo e se depara com a causa de seus maiores medos: morcegos. Passados anos, Wayne recluso em reformatórios para detentos de alta periculosidade por razões particulares – já que queria conhecer a essência dos criminosos para, de alguma maneira, combatê-los.

Treinou de modo intensivo na Liga das Sombras, na qual, além da filosofia oriental ainda aprendeu karatê shotokan. De volta a Gothan City, buscou uma forma de amedrontar seus inimigos. Assim, usou o seu medo para aterrorizar as pessoas. Definiu as vestes de morcego para causar pavor nos seus inimigos. Além disso, a máscara não era apenas para esconder sua identidade, mas para proteger as pessoas de que gostavam.

Quem de nós nunca se viu numa situação que causasse pânico? Até mesmo, quando entramos em casa, tudo escuro, parece que sentimos que alguém está ali, à espreita. Até chegamos a nos arrepiar.

O medo é um estado de atenção que ocasiona o receio ao se fazer alguma coisa. Quando o sentimos, há uma liberação de adrenalina no nosso organismo que acelera os batimentos cardíacos. Por vezes, deixamos de sentir dor e esquecemos nossos problemas. Queremos apenas passar pela situação amedrontadora.

Outro fato interessante está presente na obra “Não há dia fácil”, no qual o chefe da expedição que matou Osama Bin Laden conta sua história como membro dos Seal, facção da Marinha norte-americana que atua na água, terra e ar. Em missão, o soldado sentia muito medo de morrer, mas usava isso como fator surpresa para abocanhar seus inimigos. Assim o fez em inúmeras missões até ser convocado para ceifar a vida do maior terrorista de todos os tempos.

Quando o medo é exacerbado, ultrapassa os limites da sanidade pode tornar-se uma fobia. A fobia já impede a realização de inúmeras atividades diárias, desde as mais simples. Há casos em que pessoas não saem de casa porque têm medo de encontrar baratas na rua.

De qualquer forma, ele faz parte das nossas vidas. Para mim, ele é um belo impulso para que eu realize meus sonhos. Não tenho medo de fracassar, mas de não fazer. Pelo menos tentei. O medo não me priva, mas me incentiva.

Uma resposta to “Medo”

  1. Diana enfermagem abril 15, 2013 às 11:14 pm #

    A definição de medo é individual mas acredito q as pessoas q usa esse sentimento como degrau para realizar sonhos, conquistar pessoas e em geral viver sem ¨medo¨ das prováveis consequências sejam boas ou ruins simplesmente tentando são mais felizes !!!!!!!!!!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: