Os vampiros de hoje não são como os de antigamente

27 nov

Quando me deparo com a garotada de hoje comentando sobre a saga “Crepúsculo”, sucesso de bilheteria no cinema mundial, remeto minhas reflexões às clássicas películas nas quais os vampiros são os personagens principais.

            O fascínio por esses seres sanguinários surgiu de uma lenda romena. Bram Stocker foi um importante escritor europeu que apontou no seu mais famoso livro o Conde Drácula. Este possivelmente foi inspirado em Vlad Tepes, nascido em 1431, que comandou a região hoje a Romênia. Perverso e cruel, empalava seus inimigos. Evidentemente, não era um vampiro, mas iniciava-se assim a lenda.

            Vlad II era conhecido como Dracul (dragão em romeno, mas outro significado remetia a diabo). Em determinada ocasião, dois súditos se esqueceram de tirar o chapéu na passagem de Vlad II. A pena: chapéus pregados na cabeça dos dois pobres homens.

            Outra lenda é a de que, andando pelos campos em seu cavalo, Vlad viu um camponês com a camisa toda suja e o indagou se a mulher dele tinha saúde. Com a resposta positiva do camponês, o cruel governante foi até a casa do súdito, decepou as mãos da esposa dele e ainda arrumou outra mulher para o coitado. Queria que servisse de lição para que as mulheres cuidassem dos maridos. Além disso, ainda tinha prazer em comer ouvindo os gritos de seus inimigos sendo massacrados.

            Essas histórias nos levam a crer que, caso esse homem existiu mesmo, realmente deve ter colocado muito medo nas pessoas. Dessa forma, surgiram as lendas dos vampiros, todos descendentes do Conde Drácula.

            A indústria cinematográfica não perdeu tempo em adaptar a personagem em questão nas incontáveis histórias que assistimos por aí. Em 1922, por exemplo, o expressionismo alemão lançou o excepcional “Nosferatu”, no qual o Conde Orlock é uma figura aterrorizante, de olhos sinistros, orelhas pontudas e dentes pontiagudos. Ele representa a crueldade humana em meio à escuridão.

            Muitos anos depois, foram lançadas outras obras de grande importância, como “Hora do espanto” (1985), de Craig Gillespie, “Drácula de Bram Stocker” (1992), de Francis Ford Coppola, “Entrevista com o Vampiro” (1994), de Neil Jordan, “Um drink no inferno” (1996), de Quentin Tarantino. Todos clássicos a meu ver. Também surgiram os blockbusters “Anjos da Noite”, “Blade” e tantos outros.

            Mas o foco, agora, é a saga “Crepúsculo”, que foge totalmente dos padrões de criação dos vampiros. Edward é o personagem da trama. Ele é um vampiro nada convencional, toma sangue de animais, não chupa pescoços humanos, é apaixonado por uma menina chamada Bella e demorou uns três filmes para dar uns beijinhos mais quentes. Além dos superpoderes que todos os vampiros têm, sua pele brilha quando toma sol (para mim isso é coisa das fadas). Em certo momento, divide sua garota com um lobisomem (aliás, essa menina deve ter algum distúrbio psicológico, pois gosta de homens bem exóticos).

            Talvez essa liberdade criativa tenha feito com que esses vampiros moderninhos caíssem nas graças, principalmente, das meninas apaixonadas, aquelas que acreditam que o amor move montanhas. Eu tentei, por duas vezes, assistir ao primeiro filme da saga. Dormi nas duas tentativas. Ainda prefiro os vampiros sanguinários que aterrorizam os seres humanos. Esses sim representam a classe. Mas, em todo caso, bom proveito a quem gosta desses outros, mais sutis, andrógenos, metrossexuais… é a vez deles.

Uma resposta to “Os vampiros de hoje não são como os de antigamente”

  1. bram stoker julho 2, 2014 às 1:34 am #

    para ser vampiro tem primeiro que se alia ao diabo eu sempre quis ser um vampiro se souber como me aVISEM

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: