Pequenas coisas

18 out

Quando alcançamos determinado degrau na sociedade, começamos a nos preocupar com temas maiores, como carro, casa, família, e nos esquecemos das pequenas coisas. É indiscutível que precisamos do maior conforto possível para viver. Ao contrário da política do “quanto mais melhor”, ter bem-estar, seja material ou espiritual, é de grande valia.

            Como é gratificante comprar a própria casa, o carro dos sonhos, viajar para qualquer lugar do planeta, saber que temos amigos que nos apoiarão nos momentos mais difíceis e que nos farão rir nas horas de descontração, uma família que nos incentiva… mas nunca podemos nos esquecer das pequenas coisas.

            Se Fernando Pessoa disse que “tudo vale a pena se a alma não é pequena”, por que não olharmos diferente para o que nos passa, a priori, despercebido? Para alcançar a virtude, há de se conhecer a dor. “Quem quer passar além do Bojador, tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deu, mas nele é que espelhou o céu”. Este poema é o mais perfeito para descrever as recompensas que o ser humano pode receber se não tiver medo de tentar.

            Todos temos nossos medos e receios, mas é inaceitável que não realizemos nossos anseios por falta de tentativa, ou mesmo que deixemos de perceber como as coisas pequenas têm seu valor incondicional.

            Em determinados momentos, nada é melhor do que olhar para o céu e vislumbrar o que poderá acontecer no futuro; ou deixar que os pingos da chuva briguem entre si para tocar nosso corpo quente; ou caminhar sentindo o vento roçando no rosto.

            Nada nos oferece uma sensação melhor do que andar de motocicleta, sentindo o carinho da velocidade, ou mesmo notar que o mundo é inteiro nosso. Ou mesmo respirar  aquele alívio, reflexo da missão cumprida.

            Notar que o sorriso sincero de uma criança foi destinado só a você, ou que o primeiro pedaço do bolo, por algum motivo, foi seu naquele momento. Quando, sem mais nem menos, se descobre que alguma pessoa disse que você fez algo de muito bom a ela sem perceber.

            A vida é muito boa. Saber viver é essencial. Não apenas quero existir. Quero muito é saber viver. E, assim, tento deixar meu legado.

3 Respostas to “Pequenas coisas”

  1. Luis Gomes outubro 18, 2012 às 6:52 pm #

    Primo, realmente, nas preocupações e na correria do dia a dia, não percebemos e não damos valor as coisas simples e pequenas, mas quando deparo com uma situação complicada paro para refletir e começo a perceber que os detalhes fazem toda a diferença.

  2. Maria Clara Vieira outubro 18, 2012 às 8:00 pm #

    Parabéns pelo texto Miguel! Tenho orgulho de ter sido sua aluna! Que a vida te reserve ainda muitas felicidades, tanto nas grandes como nas pequenas coisas!

    • Coringa outubro 18, 2012 às 10:07 pm #

      O orgulho é meu de ter contribuído um pouquinho para a sua formação. Beijos e muito obrigado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: