O câncer e as falácias do ex-presidente

9 nov

Muito se comenta sobre o tratamento de câncer do ex-presidente Lula. Inúmeros usuários de redes sociais, inclusive eu, defendemos o argumento de que ele deveria ser tratado pelo Sistema Único de Saúde (o SUS, alvo de críticas constantes e exemplo de ineficácia absoluta). Deveria experimentar do bolo, cuja receita foi apresentada por ele nas campanhas para presidente.

            Em 1971, Lula perdeu a primeira mulher e o filho num hospital público. Em 1998, desceu a lenha no até então presidente Fernando Henrique Cardoso, dizendo que FHC não teria coragem de se tratar na rede pública de saúde. A crítica ao tucano aconteceu por que Lula afirmou que o primeiro havia destruído o SUS e milhões de brasileiros haviam migrado para os planos privados. Ora, no governo petista, o aumento dos adeptos da rede privada de saúde aumentou, aproximadamente, o exorbitante número de 15 milhões. Mais uma falácia.

            Há dois anos, em Recife, Lula entregou à população uma unidade de saúde e disse que ela era tão bem aparelhada que sentia vontade de se tratar nela. Pois bem, ex-presidente, será que a hora não é agora?

            É óbvio que não se trata de brincar com coisa séria, pois todos os que têm câncer merecem tratamento adequado, porém o que deve ser analisado é toda a lorota proferida pelo falastrão do Lula em palanques pelo Brasil afora. Quando ele era presidente e deveria mostrar serviço, toda a rede de saúde era maravilhosa, segundo ele. Considerava-se o paladino do bem-estar social, mas nada foi realizado de grande valia.

            A intenção aqui é levar você, leitor, a não perder sua memória em relação aos nossos políticos. Torço muito para que o ex-presidente Lula possa se curar o mais rápido possível, mas não consigo esquecer toda a papagaiada proferida por ele, principalmente, nesse caso, quando disse que gostaria muito de ser atendido pelos profissionais da unidade de saúde de Recife.

            Político brasileiro tem tendência a falar baboseiras dos mais variados tipos, sobre todos os setores da sociedade e depois não as sustentam; saem ilesos, e muitas vezes são reeleitos pelas mesmas pessoas das quais zombaram. O Sarney, por exemplo, é o modelo do cara-de-pau mais grotesco de todo o universo. Ao usar o um helicóptero da Polícia Militar do Estado do Maranhão para fazer um traslado a uma ilha particular enquanto um acidentado sofria à espera do veículo, afirmou que a viagem paga com dinheiro público é fruto da democracia e, por ele ser presidente do Senado, merecia essa regalia. Só aqui nesse país!!!

            Deixo claro que não defendo a política sobre saúde de outro governo, pois tudo aqui no Brasil que se refere às benfeitorias públicas é uma lástima, seja qual for o partido. É ridículo ver o povo implorando por dignidade. De que adianta alcançar o status de sexta maior potência do planeta se a desigualdade social é alarmante?

            O Sírio Libanês é digno de aplausos, pois é uma instituição de grande valia… para os ricos. E não é o povo que pede para que Lula se trate pelo SUS. Ele mesmo disse que queria isso, mas como todo bom político não cumpriu a promessa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: